9 de abril de 2016

Métodos Tradicionais de Avaliação de desempenho

1. Escala gráfica

 
Utiliza um formulário de dupla entrada e avalia o desempenho das pessoas por meio de fatores de avaliação previamente definidos e graduados.



Prós:
  •  Facilidade de planejamento e de construção do instrumento 
  • Simplicidade e facilidade de compreensão e  utilização
  •  Visão gráfica e global dos fatores de avaliação 
  • Facilidade na comparação dos resultados de vários funcionários. 
  •  Fácil retroação de dados ao avaliado.
Contras:
  •  Superficialidade e subjetividade na avaliação
  • Produz efeito de generalização (Efeito Hallo) 
  • Limita os fatores de avaliação 
  •  Rigidez e reducionismo no processo de avaliação. 
  • Nenhuma participação ativa do funcionário avaliado. 
  • Avalia apenas o desempenho passado.
  • Favorece o erro de tendência central. 
  • Necessita de procedimentos matemáticos e estatísticos para corrigir distorções e influência dos avaliadores. 
  • Tende a apresentar resultados condescendentes ou exigentes para todos os seus subordinados
 
Curso de Gestão de Pessoas
 

2. Escolha forçada


Utiliza blocos de frases, devendo o avaliador ,obrigatoriamente, escolher uma frase que mais se aplica ao desempenho do avaliado. Cada bloco apresenta duas, quatro ou mais frases. A natureza das frases varia bastante.

Prós:
  •  Elimina o efeito de generalização (Efeito Halo) na avaliação. 
  • Tira a influência pessoal do avaliador, isto é, a subjetividade
  •  Sua aplicação é simples e não exige preparo intenso
Contras:
  • Complexidade no planejamento e na construção do instrumento. 
  • Apresenta somente resultados globais. 
  • Não provoca retroação de dados, nem permite comparações. 
  • Técnica pouco conclusiva a respeito dos resultados. 
  •  Nenhuma participação ativa do avaliado.
3. Incidentes críticos

Baseados na observação e no registro dos aspectos do trabalho considerados excepcionalmente positivos e negativos.

Prós:
  • Avalia o desempenho excepcionalmente bom e excepcionalmente ruim. 
  • Enfatiza os aspectos excepcionais, as exceções positivas devem ser realçadas e melhor aplicadas, enquanto as exceções negativas devem ser eliminadas ou corrigidas. 
  • Método de fácil montagem e fácil utilização. 
  • Reduz a generalização (Efeito Halo).
Contras
  • Não se preocupa com aspectos normais do desempenho. 
  • É parcial, pois fixa em poucos aspectos do desempenho
 
Curso de Psicologia Organizacional


 
 Bibliografia:
 RIBAS, A. L. SALIM, C. L. Gestão de pessoas para concurso. Alumnus, 2013

8 de abril de 2016

CID - 10 - Download


O Capítulo V, Transtornos mentais e de comportamento, da CID-10 na versão, Descrições clinicas e diretrizes diagnosticas, é destinada para uso clínico, educacional e assistencial em geral.


 Download do CID-10 


Curso de Psicopatologia da Infância e da adolescência







6 de abril de 2016

Questões de Concurso - Psicologia - AOCP



(FUNDASUS - Uberlândia) QUESTÃO 31.Segundo a CID-10, os transtornos de personalidade são definidos, dentre as alternativas a seguir, pelas seguintes caraterísticas, EXCETO

(A) o padrão anormal de comportamento não ser limitado a um episódio único de doença mental, ocorrer permanentemente e ter longa duração.
(B) em nenhuma situação o transtorno acarretará e contribuir para o mau desempenho ocupacional e social.
(C)Serem condições, salvo algumas exceções, não relacionadas diretamente à lesão cerebral ou a outro transtorno psiquiátrico.
(D) o padrão comportamental ser mal adaptativo, podendo produzir uma série de dificuldades para o indivíduo.
(E) geralmente surgir na infância ou adolescência e se tornar estável ao longo da vida.

Resposta:

   As diretrizes diagnósticas gerais aplicáveis a todos os transtornos de personalidade são apresentadas abaixo:

Diretrizes diagnósticas

  Condições não diretamente atribuíveis à lesão ou à doença cerebral flagrante ou a outro transtorno psiquiátrico, satisfazendo os seguintes critérios:

(a) atitudes e condutas marcantemente desarmônicas, envolvendo em várias áreas de funcionamento, p. ex., afetividade, excitabilidade, controle de impulsos, modos de percepção e de pensamento e estilo de relacionamento com os outros;
(b) o padrão anormal de comportamento é permanente, de longa duração e não limitado a episódios de doença mental;
(c) o padrão anormal de comportamento é invasivo e claramente mal-adaptativo para uma ampla série de situações pessoais e sociais;
(d) as manifestações acima sempre aparecem durante a infância ou adolescência e continuam pela idade adulta;
(e) O transtorno leva à angústia pessoal considerável, mas isso pode se tornar aparente apenas tardiamente em seu curso;
(f) o transtorno é usual, mas não invariavelmente associado a problemas significativos no desempenho ocupacional e social.

   Para culturas diferentes pode ser necessário desenvolver conjuntos específicos de critérios com respeito a normas, deveres e obrigações sociais. 


Curso de Psicopatologia da Infância e da adolescência
 

(FUNDASUS - Uberlândia)QUESTÃO 37 Paciente de 30 anos chegou ao CAPS relatando perda do sono, apatia, anedonia, alterações do apetite e ideações suicidas. A paciente salientou que percebe estes sintomas na maior parte do dia, todos os dias, há mais de dois meses. Qual dos transtornos a seguir pode ser indicado como possível diagnóstico para o caso desta paciente?

(A) TOC (Transtorno obsessivo compulsivo).
(B) Transtorno depressivo.
(C) Anorexia.
(D) Bulimia.
(E) Hiperatividade e déficit de atenção.

Resposta:

   Em episódios depressivos típicos, de todas as três variedades [leve (F32.0), moderado (F32.1) e grave (F32.2 e F32.3)], o indivíduo usualmente sofre de humor deprimido, perda de interesse e prazer e energia reduzida levando a uma fatigabilidade aumentada e atividade diminuída. Cansaço marcante após esforços apenas leves é comum. Outros sintomas comuns são:

(a) concentração e atenção reduzidas;
(b) autoestima e autoconfiança reduzidas;
(c) ideias de culpa e inutilidade (mesmo em um tipo leve de episódio);
(d) visões desoladas e pessimistas do futuro;
(e) ideias ou atos autolesivos ou suicídio;
(f) sono perturbado;
(g) apetite diminuído.

  
   Adicionado a sintomas "somáticos" como: perda de interesse ou prazer em atividades que normalmente agradáveis; falta de reatividade emocional a ambientes e eventos normalmente prazerosos; acordar pela manhã 2 ou mais horas antes do horário habitual; depressão pior pela manhã; evidência objetiva de retardo ou agitação psicomotora definitiva (percebida ou relatada por outras pessoas); marcante perda de apetite; perda de peso (frequentemente definida como 5% ou mais do peso corporal no mês anterior); marcante perda da libido. 

Usualmente essa síndrome somática não é considerada como presente, a menos que cerca de quatro desses sintomas estejam definitivamente presentes.


 Curso de Psicologia Hospitalar


Bibliografia:

Organização Mundial da Saúde. Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID-10: descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre: Editora Artes Médicas; 1993

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...