17 de fevereiro de 2009

A PRIMEIRA TÓPICA - Os sistemas Ics, Pcs e Cs

  Curso de Psicanálise 

O aparelho psíquico é formado por sistemas cujas posições relativas se mantêm constantes de modo a permitirem um fluxo orientado num determinado sentido, nossa atividade psíquica inicia-se a partir de estímulos terminando numa descarga motora.

A primeira representação do aparelho seria a de um conjunto formado por dois sistemas:

1. Sistema perceptivo-pcpt=localizado na extremidade sensória do aparelho, recebe estímulos.
2. Sistema motor- M =Ficaria localizado na extremidade motora, daria acesso à atividade motora.
“o aparelho psíquico deve construir-se como um aparelho reflexo. Os processos reflexos continuam a ser o modelo de todas as funções psíquicas”.(Freud, A interpretação dos sonhos, cap. VII)

Um esquema demasiado simples para fenômenos tão complexos, uma questão seria que as percepções deixavam traços de memória na extremidade sensória o que seriam modificações permanentes dos elementos do sistema, como o mesmo sistema não poderia desempenhar simultaneamente as funções de percepção e memória era preciso fazer uma distinção entre a parte responsável pela recepção de estímulos (pcpt) e a parte responsável pelo armazenamento dos traços (Mnem).

Suporemos que um sistema logo na parte frontal do aparelho recebe os estímulos perceptivos, mas não preserva nenhum traço deles, e portanto, não tem memória, enquanto, por trás dele, há um segundo sistema que transforma as excitações momentâneas do primeiro em traços permanentes”.(Freud, A interpretação dos sonhos, cap. VII)

Um sistema (pcpt) recebe os estímulos perceptivos, há vários sistemas mnêmicos (com função de armazenamento e de associação, ficando o primeiro sistema aberto para novos estímulos) que recebem as excitações do primeiro sistema as transformando em traços permanentes.

As associações entre os traços ocorrem apenas no interior dos sistemas mnêmicos, ocorrendo tanto pela diminuição das resistências quando pelo estabelecimento de caminhos facilitadores.

Essa representação ainda era insuficiente, já que com a noção de elaboração onírica existiria uma instância crítica cuja função era excluir da consciência a atividade de outra instância “essa instancia crítica só poderia ser localizada na extremidade motora do aparelho por causa da sua maior relação com a consciência; que era a instância criticada. Essa instância é também responsável por nossas ações voluntárias e conscientes” (pág. 80).

Substituindo essas instancias por sistemas, temos o esquema final do aparelho psíquico.


“Pela posição que ocupa no interior do aparelho o sistema Ics só pode ter acesso à consciência através do sistema Pcs/Cs. Qualquer que seja o conteúdo do Ics, ele só poderá ser conhecido se transcrito - e, portanto modificado e distorcido - pela sintaxe do Pcs/Cs.” (pág. 81).

É no inconsciente onde existe o impulso à formação dos sonhos Devido à diminuição da censura durante o sono, o desejo inconsciente liga-se a pensamentos oníricos pertencentes ao Pcs/Cs que procuram uma forma de acesso à consciência.

Enquanto na vigília o processo de excitação percorre normalmente o sentido progressivo, nos sonhos e nas alucinações a excitação percorre o caminho inverso, isto é, caminha no sentido da extremidade sensória até atingir o sistema pcpt, produzindo um reinvestimento de imagens mnêmicas. É a esse caminho ‘para trás’ da excitação que Freud dá o nome de ‘regressão’.(pág. 81).


Curso de Psicanálise: Teoria e Técnica 


in GARCIA-ROZA, A. Freud e o Inconsciente. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001, pags 76 a 81.
FREUD, SIGMUND in A Interpretação dos Sonhos

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...