8 de outubro de 2008

Ao vencedor ,as batatas!

Me contaram uma história e adoro analisá-las, tô pensando em criar outro blog, a psicologia e a vida real ou a vida é mais forte que as teorias ou como usar o jargão psicológico para falar verdades que você não quer ouvir, isso vale para as expressões: “isso é questão sua” “vai trabalhar os teus conteúdos”’isso é transferência” unido a todos os mecanismos de defesa “vc está regredindo” “racionalizando”, “ identificando”, “negando”......... Mas continuando a história uma amiga minha muito gata, legal, gente boa, inteligente, tudo de bom , estava discutindo a relação quando ouve:

-você é fundo não é figura


É POR ISSO QUE EU AMO PSICOLOGIA!


Figura e fundo : "Na Gestalt-terapia, nós começamos a relacionar a figura, a experiência do primeiro plano, com o fundo, com a perspectiva, com a situação... O significado é a relação da figura em primeiro plano com o seu fundo."Os psicólogos gestaltistas... propuseram a teoria de que a pessoa que percebe não era um simples alvo passivo para o bombardeamento sensorial originário do meio ambiente; mais propriamente, ela estruturava e impunha uma ordem às suas próprias percepções. Basicamente, ela oganizava as percepções do fluxo sensorial recebido na experiência primária de uma figura sendo vista ou percebida contra um background, ou fundo. A figura poderia ser uma melodia, diferenciada de um fundo harmônico, ou poderia ser um padrão visual emergindo como uma entidade coerente contra um agrupamento de linhas estranhas. Uma figura, seja ela simplesmente perceptual ou consistindo de uma ordem de complexidade superior, emerge do fundo à maneira de um baixo relevo, avançando para uma posição que força uma atenção e que acentua as suas qualidades de limites e clareza.

*Na figura os galhos da arvores junto com a parte de baixo formam um bebê!

2 comentários:

j.qualquercoisa disse...

O bom da fronteira de contato é que não se precisa estar fisicamente em contato com a figura, isso porque instantaneamente a figura pode tornar-se fundo e/ou vice-versa.

O fundo, ao contrário como pensam os pouco entendidos no assunto, não se trata de um papel de parede de onde "brotam" as figuras. O fundo é a iminência da própria figura, que ganhou atenção por motivos diversos e que passa a contatar a realidade do indivíduo.

Mas este blá blá blá todo é pra dizer: Que figura é esta Lizandra!!!

bjs do sempre amigo
Joaca

lizandraestudandopsicologia disse...

OI,sempre amigo, seria muito fácil se as coisas fossem tão objetivas, a análise do que se quer dizer é o diferencial , se não colocaríamos um computador pra ser terapeuta, encheríamos ele de teoria, a minha amiga falaria isso pro computador e ele responderia sobre figura fundo, não, melhor! ele procuraria no Scielo e reproduziria a definição!
Sempre amigo, foi vc que disse isso?kk
Mas continuando o que vc analisaria da situação?!Seja empático, aí a maneira como o conteúdo foi apropriado por quem disse e quem ouviu faria "o sentido" único, precisando de mais informações...
Ps: Sobre a figura, foi retirada de um site sobre mensagens subliminares, foi a única que não é proibida pra menores,gostei por que é algo que está ali e vc não consegue ver pois sua atenção está voltada pra outra coisa, e vc não consegue vê-la pois é extremamente irrelevante, é praticamente subliminar no contexto.
"as vezes um charuto é só um charuto" ou não, mas aí só analisando....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...